Primeiras impressões: Honda NC 700X

Moto atrai por praticidade e facilidade na condução.

18/07/2012 - 23h59

Primeiras impressões: Honda NC 700X

 

Oito meses após a sua estreia mundial no Salão de Milão, a Honda NC 700X chega ao Brasil como principal novidade da marca para o país neste ano. Com visual moderno e conceito diferenciado, conta com espaço para levar capacete, a NC tem o objetivo de ser um primeiro modelo crossover da marca no segmento de motos.

Disponível nas cores vermelho e branco. Produzida na fábrica da Honda em Manaus, a moto deve ser o modelo de alta cilindrada mais vendida pela Honda no Brasil, ao lado da Hornet. “Nossa expectativa é atingir média de 6 mil unidades por ano, similar ao número da Hornet. O Brasil poderá será um dos principais mercados para NC no mundo”, afirmou Alfredo Guedes, engenheiro e supervisor de assuntos institucionais.

Com preço partindo de R$ 27.490, que sobe para R$ 29.990 na versão com freios ABS, a moto não possui muitas adversárias com características similares no mercado brasileiro. A própria marca informou que a NC pode "roubar" clientes dos segmentos naked, maxtrail e até mesmo angariar novos usuários. Em relação à proposta, quem mais se aproxima da NC 700X é a Kawasaki Versys. Ambas, apesar da cara aventureira, têm como principal habitat o asfalto.

Ao primeiro giro no punho do acelerador estas indicações foram comprovadas. A moto é confortável e o posicionamento do piloto fica em um meio termo entre naked e trail: braços se acomodam de forma relaxada e as pernas não muito flexionadas.

O assento em dois níveis tem boa rigidez e as pernas se fixam com firmeza ao tanque, ou melhor, ao falso tanque. Na verdade, o compartimento de combustível está localizado sob o assento e no local usual a marca obteve um espaço para levar um capacete. Além de propiciar o espaço para bagagens, a empresa afirma que o deslocamento do tanque trouxe melhor centralização das massas para a moto.

Na pista, foi possível alcançar 175 km/h registrados no painel. A moto mostrou estabilidade, mas a bolha dianteira não obteve muito êxito em segurar o ar. O motor bicilíndrico produzido no Japão tem comportamento muito linear e é forte, sem ser explosivo – o que pode não agradar aqueles que gostam de um pouco mais de emoção. Este motor tem conjunto moderno e faz uso de injeção eletrônica e refrigeração líquida.

Segundo a fabricante, sua configuração privilegia a economia e alguns adventos, como revestimento dos pistões em resina para reduzir o atrito, a adoção de uma só ponteira de escape e corpo único de injeção para os dois cilindros, proporcionam este efeito. Na Europa, a marca divulga consumo médio de 27 km/l o que compensaria o tanque de medidas recatadas para o segmento (14 litros), gerando autonomia de cerca de 378 km.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como sempre a Honda “abocanhando” diversos seguimentos do mercado brasileiro de motocicletas. Nesse novo conceito de motociclismo a NC 700X vem para ganhar um espaço que está e não está preenchido por modelos como BMW e Kawasaki que não tem preço tão atrativo, apesar do peso do nome da marca.

A Honda acertou e muito em esperar o mercado pedir “socorro” neste seguimento para entrar com esse lançamento que tem de tudo pra dar certo, desde a tecnologia até o preço, sem falar nas qualidades de ter uma moto da marca.

Ildeu Júnior Fonte: G1 motos