Animais e vândalos tiram o sossego da Turma da Pracinha

As mães pretendem procurar os órgãos competentes para solucionar os problemas.

Iris Mota
07/01/2013 - 23h59

Animais e vândalos tiram o sossego da Turma da Pracinha

 

O grupo é conhecido por reunir as crianças todas as manhãs na Praça Dom Eduardo para brincar ao ar livre. Os encontros começaram há mais de dois anos e atualmente 42 mães fazem parte da “Turma da Pracinha”.
Quem passa pelo local se depara com um belo cenário, meninos e meninas se divertem ao lado das mães e babás. As atividades são as mais diversas: correr, pedalar, lanchar ao ar livre, entre outras. Datas especiais também são comemoradas pelo grupo. Em 2012 o Hallowen, Natal e Reveillon foram celebrados no local. 
A iniciativa é louvável, porém a Turma da Pracinha enfrenta alguns problemas no momento. Por ser a praça um local público outras pessoas a frequentam diariamente, mas nem todos tem a iniciativa de manter o local devidamente limpo. Ao chegar de manhã com as crianças, as mães encontram dejetos de animais, cacos de vidro, restos de alimentos e garrafas pet jogadas pelo chão. A reportagem do PATOS NOTÍCIAS visitou o local e testemunhou os problemas relatados.
Nágela França é mãe de Rafael, que tem apenas dois anos. Há um ano ela leva o menino para brincar. Segundo ela, o convívio com outras crianças tem trazido muitos benefícios para o desenvolvimento do filho. Ele está se tornando cada dia mais sociável.  Mas Nágela se preocupa com a segurança das crianças, ela tem medo de que os pequenos se machuquem com os cacos de vidro , pregos e garrafas. Além dos dejetos de animais que são encontrados no local, pois nessa idade as crianças tendem a levar tudo à boca.
As mães contam que a prefeitura realiza a limpeza no local, porém não é feita com a frequência necessária e muitas das vezes apenas parte da praça recebe os devidos cuidados.
Com a entrada da nova administração a esperança se renova e as mães pretendem se reunir com representantes da prefeitura para encontrar uma solução para os problemas. Elas ainda têm o intuito de oficiar ao Comando da Polícia Militar o pedido de que seja realizada uma ronda com maior frequência pelo local. 
Nágela lembra que é possível que todos utilizem a praça. Os donos de animais têm o direito de passear com seu bichos, porém , a Turma da Pracinha conta com  a conscientização dos frequentadores. Quanto mais preservado for o local melhor será o convívio de todos.
Fotos: Eduardo Santoro