Eleições, uma chance de mudança

Às vésperas das eleições municipais, o advogado Neandro Daher lança reflexões sobre as escolhas dos candidatos.

Neandro Daher
29/09/2016 - 16h51

Eleições, uma chance de mudança

Neste ano atípico - em que ocorreu impeachment do chefe maior do executivo, em que diversas operações investigativas como a lava-jato e suas diversas fases foram deflagradas, dentre inúmeras outras investigações ligadas a corrupção estiverem no auge - mais uma eleição se aproxima e, como sempre acontece em todas as eleições esta não vem diferente de outras, vem com a proposta de mudança e renovação e desta vez, mais do que nunca, com a bandeira de combate à corrupção!

Não é raro de escutar queixas das pessoas: “essa política não tem mais jeito, de que adianta votar, se nada vai mudar e a corrupção vai continuar?!”. De fato, a corrupção em nosso país é sistêmica e está arraigada (mas não somente nos representantes que são eleitos por nós). Entretanto, a corrupção nos cargos eletivos é mais fácil de se combater, a principal arma de combate é o voto e o dia da luta contra a corrupção é nas urnas dia 02 de outubro.

No entanto o combate à corrupção não termina no dia das eleições; na verdade, ele começa no dia das eleições pois tem a sociedade após escolher seus representantes a função de fiscalizar o candidato eleito, cobrando melhorias, exigindo que ele cumpra o prometido, que este trabalhe em prol dos interesses do município, esse é direito que todos devemos exercer imoderadamente.

Como já estamos próximo as eleições, acredito que muitos cidadãos já devem ter decidido quem será o candidato merecedor de seu voto de confiança para ocupar as funções no executivo e legislativo municipal; qual candidato terá o privilégio de ser “funcionário da sociedade” pelos próximos 4 anos, trabalhando e atendendo a todos indistintamente.

Eleitor, caso ainda não tenha escolhido seu representante político, ou mesmo aqueles eleitores que já decidiram em quem votar, observe seu candidato, analise se suas propostas foram elaboradas em benefício da coletividade (e não somente em interesses de um pequeno e seleto grupo), confira se esta pessoa que deseja obter seu voto não costuma distribuir brindes ou agrados a troco de um voto, pois, certamente, se eleita não será a melhor para trabalhar nos interesses do município.

Em uma eleição em que quase 500 mil candidatos concorrem em todo país a cargos de vereador, prefeito e vice-prefeito, não deve ser difícil escolher bons representantes que ouvirão as vozes de suas comunidades; repito, se ainda estiver em dúvida quanto ao candidato escolhido, ainda há tempo de escolher outro candidato; o maior medo de um político é não ser merecedor de seu voto. Para que seja merecedor, deve fazer jus.

É através do voto que poderemos mudar nossa realidade para melhor, portanto, vote consciente!