Com psicodelia e regionalismos, Pássaro Vivo lança álbum de estreia “Sobre Asas e Raízes”

O disco está disponível para audição completa nos principais serviços de streaming.

Caio Machado
02/08/2019 - 11h23

Com psicodelia e regionalismos, Pássaro Vivo lança álbum de estreia “Sobre Asas e Raízes” Foto: Larissa Dardania

A banda patense Pássaro Vivo lançou à meia noite desta sexta-feira (02), o álbum de estreia “Sobre Asas e Raízes”. Com sete faixas e 32 minutos de duração, o trabalho registra a sonoridade que o grupo afirma se tratar de “música psicodélica popular brasileira”.

Alan Girardeli (baixo), Alexandre Soares (guitarra e voz), Ciro Nunes (bateria e flauta), Lucas André de Paula (guitarra e voz), Maria Zanuncio (voz e percussão) e Marcello Soares (voz e percussão) são os integrantes que compõem a banda Pássaro Vivo.

O disco foi produzido e gravado por Alan Girardeli no estúdio DaumRec, entre fevereiro e maio de 2019, e masterizado por Alexandre Rabaço. O trabalho também contou com o apoio técnico do Estúdio Avante 72 e do guitarrista Moisés Martins.

A ilustração da capa do disco foi realizada pela designer uberlandense Luiza Guedes. Com cores vivas contrastando com tons pastéis, o emaranhado de penas, raízes e mãos é quase sinestésico ao representar a proposta do disco.

“Primavera” inicia o álbum mesclando um som de cítara com elementos percussivos e uma viola caipira que carrega o bucolismo do sertanejo raiz. A canção apresenta as vozes de Lucas, Maria e Marcello, que em coros e arranjos diversos colorem a todas as faixas do disco.

Em “Firmamento”, a psicodelia prometida pela banda se intensifica em uma densa linha de bateria, baixo e violão, arrematada por um solo de guitarra (similar ao que era ouvido em bandas do começo da década de 70, como Pink Floyd e Gong) e flauta transversal.

Uma pegada latina e dançante quebra o clima lisérgico do disco na faixa “Vendaval”, conduzida por guitarras vibrantes e cheias de suingue. Na segunda parte da música, Maria Zanuncio evoca uma euforia a lá Elza Soares num agressivo e expressivo vocal.

A calmaria e exaltação lírica que clama por elementos de fauna e flora é apresentada nas faixas que se seguem, “Beija Flor” e “Eu Quero Virar Peixe”. O clima bucólico retorna conduzido por vocalizações que novamente exploram o alcance vocal do trio de vocalistas.

O ponto alto das interpretações vocais do álbum está na faixa “O Presente”, onde também fica evidente a influência da música folk norte-americana. “Clariô”, música de encerramento do disco, é uma reinterpretação do cantor de música regional baiana Elomar Figueira Mello.

O álbum “Sobre Asas e Raízes” está disponível para audição completa nos serviços de streaming Deezer, Spotify, Google Play, Apple Music, iTunes, Youtube e Youtube Music.


  • Galeria